Aconselhamento de Vestuário

terça-feira, 12 de março de 2013
Ontem tive mais uma aula na Pós-Graduação de Consultoria de Moda e Imagem. O tema era "Aconselhamento de Vestuário" e foi leccionado pela Paula Arriscado e a Natividade Freitas. A Paula Arriscado trabalha na área da comunicação empresarial, é a atual Diretora de Comunicação e Marketing da Toyota Portugal, enquanto a Natividade Freitas trabalha na área têxtil, desenvolvendo paralelamente trabalhos de design, decoração e consultoria.






Ambas extremamente simpáticas e dinâmicas. Começamos por falar das mudanças que a nossa sociedade sofreu nas últimas décadas. A unidade passou a diversidade, o esforço passou a prazer, o forte passou a light, a razão passou a emoção, a ética passou a estética, o formalismo passou a humor. Vivemos no hiperconsumismo, no hipernarcisismo, temos uma extrema necessidade de renovação permanente, temos paixão pelo novo, valorizamos o individual, damos um crescente valor à aparência, quebramos os padrões disciplinares, manifestamos os nossos desejos e, assim de tudo, procuramos o nosso bem-estar.

E, no que diz respeito à aparência, hoje mais do que nunca, é um ponto determinante na nossa vida e uma indústria em forte crescimento. Queremos ser bonitos. E uma das formas de nos sentirmos bem connosco próprios, é usarmos as roupas certas, as roupas que nos dão confiança, que nos valorizam, que nos destacam. As roupas que nos permitem encaixar em determinado grupo, seja na empresa, seja numa festa ou num evento profissional. A forma como nos vestimos vai transmitir uma imagem nossa. Ou seja, primeiro temos de pensar qual a imagem que queremos transmitir (se o nosso objectivo é parecermos profissionais, confiantes, bem-sucedidas, acessíveis, simpáticas, etc) e depois analisar bem o espaço para onde vamos (reunião, cocktail, festa, viagem, de dia, de noite...).

Começamos então a falar dos vários dress codes existentes. O primeiro é o Streetwear - característico da juventude, é um estilo descontraído, de uso quotidiano (ex: calças de ganda e t-shirt). O segundo é o Casual - confortável, com uma certa dose de descontracção, mais usado ao fim-de-semana, no caso de trabalhadores, embora seja um estilo com o qual me identifico bastante (ex: calças de cor conjugadas com uma camisola, uma écharpe e umas botas rasas). O terceiro tipo é o Business Casual - o típico vestuário de escritório, bastante discreto, com uma certa sofisticação, em tons escuros e cinza (saia lápis, calças de sarja, camisa, blazer). O quarto é o Business Informal - mais sofisticado que o anterior, usado para situações profissionais, como reuniões formais, entrevistas e apresentações (ex: calças pretas, camisa, cinto e sapatos femininos e formais). O quinto é o Smart Casual - para eventos profissionais mais descontraídos, como uma festa de final de ano da empresa, festas de beneficência, cocktails ao fim do dia, etc. Temos mais liberdade de escolha mas, ainda assim, com limites (ex: vestido curto em tecido leve, bijuteria e saltos altos). O sexto e último dess code é o Black Tie - o mais formal que existe, para eventos de extrema sofisticação e glamour, como os bailes e as galas (ex: vestido comprido preto, jóias, maquilhagem elaborada). Entretanto, ao longo da aula fomos realizando exercícios práticos individuais, em que tínhamos de vestir pessoas consoante o tipo de evento. Foi uma aula muito interessante e produtiva. Hoje vou ter outra aula, sobre maquilhagem! Amanhã conto-vos tudo!


Comentar
Enviar um comentário