Coaching

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012
Este semana tive a minha terceira aula na Pós-Graduação em Consultoria de Moda e Imagem. O tema era "Coaching e Comunicação" e quem o foi leccionar foi o Sérgio Guerreiro, coach empresarial e desportivo. Explicou-nos como o coaching é fundamental no dia-a-dia de qualquer pessoa, tanto a nível profissional como pessoal. Extremamente relevante no caso do consultor de imagem.















Para quem nunca teve contacto com esta palavra, o coaching consiste em ajudar uma pessoa a determinar os seus objectivos e a encontrar uma solução para os alcançar, para depois a acompanhar nessa trajetória. Basicamente, são duas as máximas do coaching: solução e ação. O coach põe o coachee a pensar na sua própria vida, de forma positiva, orientando-o para a solução, e não para o problema. Em vez de perguntar "Como está a aguentar esta crise?", pergunta "Já pensou no que pode fazer para contornar a crise?". Fomenta o conhecimento próprio (as pessoas são, por natureza, preguiçosas para pensar), impulsiona o desejo de mudar/melhorar e ajuda a eliminar os fatores que estão a bloquear a ação. Depois de perceber onde o coachee quer chegar, o coach acompanha-o e orienta-o tecnicamente no caminho até à realização dos seus objectivos.

Porquê o coaching na consultoria de moda e imagem? Porque a maior parte das pessoas que procura um consultor, não sabe realmente qual é o seu objectivo com a consultoria. Desta forma, o consultor tem de saber ajudar o cliente a perceber onde quer chegar, para depois o conseguir orientar até lá. Muito importante é ter presente o que é um verdadeiro objetivo: tem de ser algo específico, mensurável, atingível, realista e temporariamente definido. Por exemplo: "Em 2013 temos que marcar um jantar com a nossa turma da escola" - não é um objectivo com probabilidade de ser cumprido. Por outro lado: "Em 2013 temos que marcar um jantar com a nossa turma da escola. Podia ser no último fim-de-semana de Janeiro. Vamos começar a contactar as pessoas." - já é um objectivo com elevada probabilidade de acontecer. As pessoas em geral fogem do compromisso. Fazem promessas vagas, que sabem que não vão cumprir. Fica aqui um conselho para 2013: sejam específicos. Comprometam-se. Pensem na vossa vida, nos vossos verdadeiros objectivos (um ou dois, no máximo) e no que vos está a bloquear. Tentem ultrapassar essa barreira. Estabeleçam as várias metas que necessitam de ser atingidas para alcançar o objectivo final, nem que seja numa folha de papel.


Comentar
Enviar um comentário